O Evangelho foi pregado a TODOS antes de 70 dC?

Colossenses 1:23 diz: “Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro”.

Conclusão preterista: Paulo confirma as palavras de Jesus, quando o Senhor garante que o Evangelho seria anunciado a todo o mundo antes da destruição de Jerusalém: “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”, Mat 24:14.

Os preteristas argumentam que a palavra aqui, quase sempre traduzida como “mundo” (οἰκουμένη), é um termo técnico que se refere ao mundo civilizado, uma menção ao Império Romano durante o primeiro século. Eles afirmam que o Evangelho já havia sido proclamado em “Todas as nações” pertencentes ao império durante a era apostólica, e que o fim mencionado por Jesus deve significar o fim de Jerusalém e da era judaica em 70 dC quando os romanos invadiram Jerusalém e destruíram o Templo. Eles acreditam também que a vinda de Jesus proclamada em todas as Escrituras ocorreu em 70 dC.

Vamos atentar para todo o contexto de Paulo aos Colossenses capítulo 1:23-27: “Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro.

Regozijo-me agora no que padeço por vós, e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é a igreja;

Da qual eu estou feito ministro segundo a dispensação de Deus, que me foi concedida para convosco, para cumprir a palavra de Deus;

O mistério que esteve oculto desde todos os séculos, e em todas as gerações, e que agora foi manifesto aos seus santos;

Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória”.

Agora observem o verso cinco e seis do mesmo capítulo: “Por causa da esperança que vos está reservada nos céus, da qual já antes ouvistes pela palavra da verdade do evangelho, que já chegou a vós, como também está em todo o mundo; e já vai frutificando, como também entre vós, desde o dia em que ouvistes e conhecestes a graça de Deus em verdade”.

Quando Paulo confirma acima sobre o Evangelho, “… o qual é chegado a vós” e que “está em todo o mundo“, ele simplesmente quer ratificar que o Evangelho é universal. Ele não se limita a nenhum lugar ou pessoas, mas é projetado para ser uma religião universal. Ele oferece a bem-aventurança para todos. Não foi confinado aos judeus, ou limitado ao país estreito onde foi pregado pela primeira vez, mas foi enviado ao exterior, para o mundo gentio.

O Evangelho não havia sido pregado a toda criatura, mas estava sendo providenciado para ser anunciado por todo o mundo, diz Paulo aos Colossenses: “… como também está em todo o mundo [o Evangelho]; e já vai frutificando…”, v 5.

Vamos voltar agora ao verso 23: “Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro”.

O versículo foi muito mal traduzido, pois não está de acordo com a declaração anterior de Paulo, de que o Evangelho “está frutificando e crescendo em todo mundo“. Se o Evangelho está frutificando e crescendo, deve significar que “está sendo pregado a toda criatura” e não que “já foi pregado a toda criatura“. A frase geralmente traduzida como, “que foi proclamado”, em Colossenses 1:23, está no tempo aoristo (1), que frequentemente carrega um aspecto contínuo – fala do Evangelho “que é proclamado“.

Veja como a New English Bible traduziu corretamente o texto: ” … continuem firmes na fé, e não se distanciem da esperança da Boa Nova que ouvistes e que se proclama em toda a criação debaixo do céu; do qual eu, Paulo, me tornei um servo“.

A Bíblia Douay-Rheims traduziu de forma semelhante: “continuais na fé, alicerçados e firmes, e imóveis na esperança do evangelho que ouvistes, que é pregado a toda a criação que está debaixo do céu, da qual eu, Paulo, fui feito ministro“.

A World English Bible seguiu o mesmo padrão: “… continuais na fé, alicerçada e firme, não se afastando da esperança da Boa Nova que ouvistes e que se proclama em toda a criação debaixo do céu; do qual eu, Paulo, fui feito servo“.

O apóstolo mostra nesse texto que o Evangelho estava se espalhando amplamente e com sucesso onde quer que fosse proclamado. A ideia é que o Evangelho não se limita “à” nação de Israel ou a um determinado grupo de nações. Isso sugere que o escopo pretendido do Evangelho é “todas as nações”, o que pode ser entendido pelas palavras do próprio Paulo na carta aos romanos: “mas agora manifesto e, por meio das Escrituras Proféticas, segundo o mandamento do Deus, eterno, dado a conhecer a todas as nações para obediência da fé” (Romanos 16:26).

Provavelmente foi por este motivo que a tradução da NVT trouxe o versículo da seguinte forma: “mas que agora, como os escritos dos profetas predisseram e o Deus eterno ordenou, é anunciada aos gentios de toda parte, a fim de que eles também possam crer nele e lhe obedecer“.

Este versículo é uma alusão ao Salmo 19:4, que foi escrito durante o reinado do Rei Davi. Este salmo fala dos “céus” e seus corpos celestes declarando a glória de Deus a “toda a terra” e “ao fim do mundo”. Isso sugere fortemente que Paulo tomou emprestada a linguagem deste Salmo para expressar a ideia de que a mensagem celestial – o Evangelho – se destina a judeus e gentios sem distinção (Rom 10:18; cf. 10:12).

John Piper explica o significado do versículo em Colossenses 1:23: “Aqui está minha solução simples, embora você precise saber grego para vê-la. O grego para a frase “que foi proclamado” é tou kēruchthentos. Este é um particípio substantivo que poderíamos traduzir “que é proclamado” … O fato de o particípio “proclamado” ser aoristo não significa que a proclamação já aconteceu no passado… O tempo aoristo em tais usos não denota um tempo específico.

Portanto, a leitura mais simples de Colossenses 1:23 é que Paulo está definindo o Evangelho como o tipo de Evangelho ilimitado e global em escopo e, portanto, é pregado, por definição, em toda a criação. Não há nenhuma declaração aqui de que já aconteceu. Então, eu iria traduzir: “… se é que permaneceis na fé, fundados e firmes, não vos deixando apartar da esperança do Evangelho que ouvistes – o Evangelho que é proclamado em toda a criação debaixo do céu.” (O Evangelho Já Foi Pregado a Toda a Criação?).

A linguagem figurativa empregada por Paulo e seu companheiro de viagem, Lucas, para descrever a intenção não discriminante e a vitória do Evangelho contrasta com o significado literal das palavras de Jesus em Mateus 24:14. Não há razão convincente para interpretar as palavras do Mestre em Mateus 24:14 de forma figurada. Em vez disso, o Evangelho será proclamado “a todas as nações” (“a todos os grupos étnicos”) em todo o mundo para fornecer-lhes um testemunho (Mateus 24:14) antes do julgamento no final da era, um julgamento que incluirá “todas as nações”, conforme Mateus 25:32, o que não ocorreu em 70 dC.

Deve ser notado que Paulo não acreditava que o trabalho de pregar o Evangelho tinha sido concluído; ele também escreveu (na mesma carta, três capítulos depois) aos cristãos de Colossos, que estes orassem para que uma porta se abrisse para a pregação do Evangelho: “Ao mesmo tempo, orem também por nós, para que Deus nos abra uma porta à palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual também estou algemado” (Colossenses 4: 3).

Observe a seguir como o argumento a favor da verdade prevalece diante da heresia preterista; Paulo escreveu aos Efésios enquanto estava preso em Roma. Preso por amor a Cristo (Ef 3: 1; 4: 1; 6: 20).

A Epístola aos Efésios tem muita afinidade com a Epístola aos Colossenses, e foi escrita logo após esta. Se Paulo disse que o Evangelho já havia sido pregado no mundo todo, na carta aos Colossenses, então os preteristas deveriam explicar do porque ele ainda falava em anunciar o Evangelho numa carta posterior: “com toda a oração e súplica orando em todo tempo no Espírito e, para o mesmo fim, vigiando com toda a perseverança e súplica, por todos os santos, e (orem) por mim, para que me seja dada a palavra, no abrir da minha boca, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho” (Efésios 6:18,19). E o problema preterista aumenta quando vemos que Paulo, durante sua segunda prisão em Roma – depois de escrever aos Colossenses e aos Efésios – exorta Timóteo a pregar o Evangelho: “prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino” (2 Timóteo 4:2).

O livro do Apocalipse também transmite o conceito de que o Evangelho eterno deve ser proclamado a “toda nação, tribo e língua e povos” (Ap 14: 6) antes da gloriosa revelação de Jesus. Por outro lado, a abordagem preterista de Mateus 24:14 (“E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim“) importa um significado limitado para as palavras de Jesus e, portanto, distorce a própria base para o evangelismo mundial.

A interpretação preterista de Mateus 24:14 involuntariamente mina a Grande Comissão (Mateus 28: 18-20; cf. Marcos 16: 15-18). A razão para isso é dupla: Primeiro, Jesus prometeu estar com seus discípulos em seus esforços evangelísticos até “o fim dos tempos” (Mt 28:20), uma era que muitos preteristas acreditam que terminou com a destruição de Jerusalém em 70 dC. Em segundo lugar, Jesus ordenou a seus discípulos que fizessem discípulos de “todas as nações“. Com base em sua interpretação de “todas as nações” em Mateus 24:14, a consistência hermenêutica exige que os preteristas entendam esse mandamento como tendo sido cumprido o mais tardar em 70 dC.

Há uma diferença entre uma profecia específica de Cristo e Paulo falando sobre o que ocorria em todo o mundo com relação ao Evangelho. Na verdade, levaria séculos para chegar a vários outros grupos de pessoas. O Evangelho alcançando cada pessoa é uma das ocorrências que vai inaugurar a segunda vinda do Senhor, o que ainda não ocorreu. O próprio Paulo disse sobre o Evangelho não proclamado ainda para todos, quando afirma que havia lugares em que Cristo não tinha sido anunciado (Rom 15:20, 21). Isso significa que nem todas as pessoas haviam ainda sido alcançadas até 58 dC, ocasião em que escreveu estas palavras, o que, obviamente, também não ocorreria até 70 dC.

Outra passagem usada pelos preteristas

Romanos 16:25-26, “Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu Evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto, mas que se manifestou agora, e se notificou pelas Escrituras dos profetas, segundo o mandamento do Deus eterno, a todas as nações [etnia] para obediência da fé”.

Os preteristas alegam que essa palavra de Paulo teve cumprimento até 70 dC – que o Evangelho foi dado a conhecer a todas as nações antes da volta de Jesus na destruição de Jerusalém.

Óbvio que isto não foi feito quando Paulo escreveu Romanos. Se fosse assim, então toda a atividade missionária teria cessado. Ele apenas dizia que o Evangelho era universal, oferecido a todas as nações. “Em todo o mundo”, ou “Todas as nações”, que aqui deve ser entendido que o Evangelho é uma mensagem universal, concebido para todos os homens e adequado para ser pregado entre todas as nações, não apenas aos judeus, o que pode ser melhor compreendido pela tradução da NVT: “mas que agora, como os escritos dos profetas predisseram e o Deus eterno ordenou, é anunciada aos gentios de toda parte, a fim de que eles também possam crer nele e lhe obedecer“.

Agora, se os preteristas querem continuar insistindo na tese de que o Evangelho foi pregado a todo mundo antes de 70 dC, devem explicar – citando apenas dois exemplos – porque Tomé foi martirizado anunciando o Evangelho na Índia depois de 70 dC. Por que Felipe foi para o leste da Turquia pregar o Evangelho depois de 70 dC, e ali foi executado, se o Evangelho havia já alcançado aquele povo? Provavelmente o preterismo não poderá responder satisfatoriamente.

Como vimos, a proposta preterista é confusa e ingênua, sendo fácil de refutar. A alegação de que o Evangelho foi pregado em todo o mundo antes da destruição de Jerusalém é por demais imprecisa e infantil.

A Deus toda Glória

1) Forma verbal do grego antigo, caracterizada por expressar a ação sem limitação de tempo (sem limite ou especificações de tempo). O aspecto verbal que não denota a duração de tempo (em quaisquer idiomas/línguas).