Por que o Tempo está Próximo

Posted by

REVELAÇÃO de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo, Apoc 1:1

O Preterismo coletou aquilo que eles chamam de Textos do Tempo em Apocalipse, que levam a acreditar que o cumprimento do próprio Livro profético tinha que ocorrer durante o primeiro século. Estes são os textos:

 1) “coisas que brevemente devem acontecer” (1:1).

 2)  “Porque o tempo está próximo”  (1:3).

 3) “em breve virei a ti (tachús)”  (2:16).

 4) “Eis que venho sem demora (tachús)”  (3:11).

 5) “É passado o segundo ai; eis que o terceiro ai cedo virá (tachús)” (11:14)

 6) “As coisas que brevemente devem (tachos) ter lugar” (22:6).

 7) “Eis que venho sem demora (tachús)” (22:7).

 8) “Porque o tempo está próximo (Eggús)” (22:10).

 9) “Eis que venho sem demora (tachús)” (22:12).

10) “Sim, eu venho (tachús)”  (22:20).

Outras passagens citadas fora do Livro de Apocalipse

o dia está próximo” (Rm 13:12),”O fim de todas as coisas está próximo” (I Pedro 4:7), “a vinda do Senhor está próxima“(Tiago 5:8) e “o juiz está às portas” (Tiago 5:9).

Sabemos com certeza que as frases que falam da “proximidade” do Dia do Senhor não são declarações que Jesus retornaria em questão de meses ou anos.

Observem a similaridade com essas passagens:

Clamai, pois, o dia do Senhor está perto; vem do Todo-Poderoso como assolação”, Isaías 13:6.

Porque está perto o dia, sim, está perto o dia do Senhor; dia nublado; será o tempo dos gentios”, Ez 30:3.

“… o dia do Senhor está perto; porque o Senhor preparou o sacrifício, e santificou os seus convidados… esquadrinharei a Jerusalém com lanternas, e castigarei os homens que se espessam como a borra do vinho, que dizem no seu coração: O Senhor não faz o bem nem faz o mal… O grande dia do Senhor está perto, sim, está perto…”, Sofonias 1:7-14.

A afirmação de que “o dia do Senhor está próximo” poderia não significar o próximo em meses ou anos porque eles foram feitos centenas de anos antes de 70 dC, a suposta época da sua realização!

A frase “as coisas que brevemente devem acontecer” (Ap 1:1) deveria ter sido traduzida como “as coisas que devem acontecer em um curto período de tempo.” Jesus disse simplesmente que os acontecimentos descritos na revelação teria lugar em um curto período de tempo ao invés de se arrastar por décadas.

A frase “venho sem demora” (Ap 3:11; 22:7,12,20) é outro erro de tradução horrível. A palavra “tachu” que é traduzida como “rapidamente”, significa “em breve”, ou seja, sem atraso, em breve, ou (de surpresa), de repente, ou prontamente: Levemente, de forma rápida.

Jesus diz a todos que Ele vai voltar de forma extremamente rápida. Ele vai aparecer do nada. Vai ser uma surpresa para aqueles que não estão prestando atenção ao Seu retorno (I Ts 5:2-4; Apoc 3:3; 15:15) O contexto exige que a tradução seja “de repente”. Sabemos que este é o entendimento correto, porque o Senhor disse que voltaria como um ladrão na noite (I Tess 5:2; II Pedro 3:10; Apoc 16:15), e como uma armadilha (Lc 21:34).

As frases “o dia está próximo” (Rm 13:12), “O fim de todas as coisas está próximo” (I Pedro 4:7) e “a vinda do Senhor está próxima” (Tiago 5:8) são declarações de edificação. É uma maneira de o Senhor encorajar todos os crentes para mantê-los espiritualmente alerta. Crentes que estão espiritualmente alertas (sóbrios, acordados) não serão pegos de surpresa. Eles vão vê-lo chegando, porque há vários sinais claros que devem ter lugar antes da Tribulação começar (I Tess 5:1-6; II Tess 2:3).

Também sabemos com certeza que essas frases não têm muito efeito quando aplicadas aos textos do tempo da ala preterista, pois, por exemplo, Tiago escreveu que Jesus estava as portas na década de quarenta, quase trinta anos antes do seu alegado retorno em 70 AD. Não há nenhuma maneira de 25 a 30 anos serem considerados “à mão”. Eu poderia acreditar que dois anos é “na mão”, mas não 25 anos. Essa é a exigência na interpretação preterista, pois alegam que João escreveu Apocalipse menos de cinco anos antes da destruição de Jerusalém!

A frase “porque o tempo está próximo” (Ap 1:3) deve ser tomada no contexto. Jesus diz que aqueles que lerem a profecia e mantê-la são abençoados. A revelação também foi dada para os crentes que seriam perseguidos e para àqueles que veriam sua volta. Para serem capazes de aprender antes dEle retornar, e estudar cuidadosamente as profecias, prestando atenção para os acontecimentos descritos e quando teriam lugar.

O tempo de uma passagem é determinado tendo em conta todos os fatores da mesma passagem. Espero mostrar que esses termos são mais propriamente interpretados como indicadores qualitativos (indicadores não cronológicos) descrevendo como Cristo voltará.  Como é que ele volta?  Será “rapidamente” ou “de repente”.

Sem dúvida, a sobrevivência exegética da posição preterista gira em torno do significado dessas passagens. Quando eles chegam a textos que não parecem  harmonizar com sua opinião, se tomado claramente, eles geralmente revertem a seu “tempo” com relação as passagens, e dizem: “Seja qual for o significado dessa passagem, já estabelecemos que ela cumpriu-se  no primeiro século”. De acordo com essa crença, eles procuram no primeiro século informações para os eventos que compreendem o significado mais próximo apto para a passagem e, geralmente, encaixam o texto bíblico em discussão.

“Rapidamente”: como e quando?

Mateus 24:34, na frase, “esta geração” é a  passagem central usada pelo Preterismo. Sua sobrevivência depende deste detalhe.  Apocalipse se torna importante em suas tentativas de “preterizar” a maior parte da profecia bíblica contida no Livro. Assim, os termos “rapidamente” e “próximo” se tornaram a base para a sua insistência de que o livro do Apocalipse se cumpriu na destruição de 70 dC em Jerusalém.

Vamos prolongar a refutação pesquisando o termo “rapidamente”.

“Uma das pistas mais úteis interpretativa no Apocalipse, dizem os Preteristas, é a expectativa contemporânea do autor sobre o cumprimento da palavra profética”. Afirmam que João claramente esperava para breve o cumprimento de sua profecia.

A forma da palavra grega para “rapidamente” (tachos) é usado oito vezes no Apocalipse (1:1, 2:16, 3:11; 11:14; 22:6; 22:7; 22:12, 22: 20). Tachos faz parte de uma família de palavras relacionadas que podem ser usadas para significar “em breve”, como acreditam os preteristas, ou pode ser usada para significar “rapidamente” ou “de repente”, como afirmam muitos futuristas (maneira pela qual a ação ocorre).

Tachos é atestada na Bíblia como se referindo a ambas as possibilidades.  1 Timóteo 3:14 nos deixa a primeira pista quando diz: “Escrevo-te estas coisas, esperando ir ver-te bem depressa;” Por outro lado, Atos 22:18 é descritivo da maneira pela qual o ação acontece”, E vi aquele que me dizia: Dá-te pressa e sai apressadamente de Jerusalém; porque não receberão o teu testemunho acerca de mim.”

A “interpretação tempo” dos preteristas ensina que a palavra tachos usados no Apocalipse (1:1, 2:16, 3:11; 11:14; 22:06, 7, 12, 20) significa que Cristo veio em julgamento sobre Israel através do exército romano nos eventos em torno do ano 70 dC, a destruição de Jerusalém. Mas como é que a “interpretação” a maneira dos futuristas compreende o uso da família Tachos em Apocalipse? O futurista, John Walvoord explica:

Daniel declarou que aquilo que iria ocorrer “nos últimos dias” é aqui descrito como “em breve” (Gr., en tachei), isto é, “rapidamente, ou de repente“, indicando rapidez de execução após o início do que ocorre. A idéia não é que o evento pode ocorrer em breve, mas que quando isso acontecer, ele será repentino (cf. Lucas 18:08, Atos 12:7; 22:18; 25:4, Rm 16:20). Uma palavra similar, tachys, é traduzida como “rapidamente” sete vezes no Apocalipse (2:5, 16; 3:11; 11:14; 22:07, 12, 20).

Passamos agora a uma análise de como a palavra da família Tachos é usado no Apocalipse.

Suporte para a interpretação futurista

1. 1. O uso lexical. O léxico grego, líder em nossos dias, é Bauer, Arndt e Gingrich (BAG), que lista as seguintes definições para tachos: “velocidade, rapidez e pressa” (p. 814). As duas vezes que este substantivo aparece no Apocalipse (1:1; 22:6), é juntamente com a preposição en, fazendo com que esta frase gramaticalmente passe a funcionar como um advérbio revelando-nos da forma “repentina” em que esses eventos terão lugar. Eles vão ocorrer “rapidamente“.

A outra palavra na família tachos usados no Apocalipse como um advérbio é tachús, que em todas as seis vezes ocorre com o verbo érchomai, “vir” (2:16, 3:11; 11:14; 22:07, 12, 20). BAG dá como seu significado “rápido, rápido, rápido” (p. 814) e, especificamente, classifica os seis usos no Apocalipse como significando “sem demora, rapidamente, ao mesmo tempo” (p. 815). Assim, ao contrário do pressuposto de tempo do preterismo, que tomam todas as ocorrências como uma referência ao tempo, BAG (outros léxicos também concordam) recomenda uma tradução descritiva da maneira em que as coisas vão acontecer (Apoc 2: 16, 3:11; 11:14; 22:07, 12, 20).

Evidente que uma ação rápida pode ocorrer no momento mesmo, como em Mt 28:7-8: “Ide depressa e dizei aos seus discípulos e eles partiram rapidamente do sepulcro…”, mas o pensamento não é que eles demoraram, ou esperaram algo para ir, mas que seu movimento foi rápido.  Se o Senhor fala sobre este contexto de Apocalipse nos dias em que João viveu então Ele não quis dizer que Ele estava voltando em breve, mas rapidamente e de repente sempre que o tempo, o fim dos tempos, exige sua chegada; é a rapidez do seu movimento que enfatiza a palavra.

Estes termos não são descritivos de quando os eventos ocorrem e nosso Senhor virá, mas sim, descritivo da forma em que terá lugar quando eles ocorrem. Este tipo de frase adverbial em Apocalipse pode de forma mais precisa ser traduzida como “com rapidez, de forma rápida, de uma só vez, em um ritmo rápido [quando ocorre].”

Detalhe esquecido pelo Preterismo

Se João começou a escrever Apocalipse na década de 60, pós 62 até 66, como afirmam os preteristas, os crentes tinham menos de quatro anos para estudar todo o livro. Levou tempo para que o manuscrito ficasse pronto, e mais tempo ainda levaram as cópias que foram enviadas as sete Igrejas, que deveriam ser distribuídas por todo o Império Romano. Concluímos então que a maioria dos cristãos da época nem chegaram a ler o Apocalipse. Os que tiveram a sorte de ler e estudar o fizeram em pouquíssimo tempo. Portanto, menos de quatro anos não é tempo suficiente para alguém, ou uma congregação inteira, ser capaz de compreender as profecias contidas no Livro, a menos que estudassem oito horas por dia. Outro detalhe que destrói totalmente a alegação preterista, é que o Apóstolo João escreveu a sete Igrejas na Ásia, mas nunca enviou sequer uma carta a congregação em Jerusalém. Esse é o maior furo preterista: Segundo eles João escrevia sobre a destruição de Jerusalém, alertando sobre o que ocorreria, mas não enviou sequer uma carta à Igreja da cidade santa.

É ilógico que se pense que Jesus deu esta revelação de vital importância menos de quatro anos antes de seu retorno. Não é tempo suficiente para os crentes estudá-la e ter uma compreensão significativa do mesmo, especialmente porque a grande maioria dos crentes nunca o leu. Os escritos do Novo Testamento levaram vários anos para serem distribuídos por todo o Império Romano. O Senhor Jesus não iria esperar até poucos anos antes de seu retorno para dar esta revelação.

O Preterismo não serve a nenhum propósito útil para os preteristas hoje, exceto para refutar os futuristas. Isso é um desperdício colossal de tempo. Os preteristas deveriam dedicar todo seu tempo para compartilhar o Evangelho com os perdidos, não tentando converter futuristas, historicistas e outros à sua doutrina. A sua falsa doutrina não pode edificar ninguém. Ela só pode confundir e dificultar a propagação do Evangelho e causar dissensão dentro do corpo de Cristo (Gl 5:20).

O Senhor Deus de Israel ditou profecias através de Seus profetas que não foram cumpridas por várias centenas de anos. Por que ele iria mudar esse padrão na dispensação do Novo Testamento e lançar profecias que foram cumpridas em questão de algumas décadas e, no caso do livro de Apocalipse, em menos de quatro anos? Não faz sentido e é contrário à sua natureza padrão, e não está de acordo com a declaração de que ele nunca muda (Heb 13:8).

Os discípulos de Jesus não viram seu retorno

Outra prova irrefutável de que a doutrina preterista está errada é a afirmação clara de Jesus  aos discípulos de  que eles não iriam ver seu retorno físico,

 “E disse aos discípulos: Dias virão em que desejareis ver um dos dias do Filho do homem, e não o vereis.” (Lc 17:22). É por isso que Ele lhes disse para não se preocupar com seu retorno, quando pediu-lhe para dizer-lhes quando Ele voltaria (Atos 1:6,7).

Outra declaração em Atos 1 que deixa subentendido que sua aparição novamente a eles ocorreria apenas no fim dos tempos.

9          “… [ Jesus ]…  foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.

10        E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco.

11        Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir”.

E por fim, a clássica declaração em Lucas.

Luc 13:35 –     Eis que a vossa casa se vos deixará deserta. E em verdade vos digo que não me vereis até que venha o tempo em que digais: Bendito aquele que vem em nome do Senhor.

Nada disso ocorreu em 70 dC!

Exemplos no Antigo Testamento

É importante notar  as passagens que até mesmo por  estimativas mais conservadoras, não poderiam ter ocorrido durante centenas, até milhares de anos depois de previstas. Por exemplo, Isaías 13:22 diz: “… pois bem perto já vem chegando o seu tempo, e os seus dias não se prolongarão…”. Isto foi escrito por volta de 700 aC, predizendo a destruição de Babilônia, que ocorreu em 539 aC. Da mesma forma, Isaías 5:26 fala da forma, e não o período de tempo, pelo qual a invasão assíria de Israel “virá com velocidade rápida.” Isaías 51:5 diz: “Perto está a minha justiça, vem saindo a minha salvação, e os meus braços julgarão os povos; as ilhas me aguardarão, e no meu braço esperarão.” Esta passagem, provavelmente, será cumprida no milênio, mas nenhum intérprete ousaria colocá-la mais cedo do que primeira vinda de Cristo, pelo menos, 700 anos depois de ter sido dada. Isaías 58:8 fala da recuperação de Israel como acontecendo “rapidamente”, Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda.  Se for uma “passagem de tempo”, então o mais antigo que poderia ter acontecido é 700 anos mais tarde, mas a bem da verdade, é que a previsão ainda ocorrerá. Muitas outras citações no Velho Testamento podem ser  reunidas para dar apoio a interpretação futurista em Apocalipse.

Detalhes que atrapalham o Preterismo

Temos varios textos em Apocalipse sugerindo que Jesus voltaria breve

Eis que venho sem demora”  (3:11).

Eis que venho sem demora” (22:7).

Eis que venho sem demora” (22:12).

Jesus disse: “Eu estou voltando brevemente

Sim ou não?

Jesus voltando breve, como foi dito por João, significa que tomaria um tempo de mais de dois milênios, pois ele ainda não voltou. Muitos preteristas concordam que Jesus ainda não voltou. Por que então as coisas que em BREVE devem acontecer significar que João escrevia sobre a destruição de Jerusalém que estava as portas?

REVELAÇÃO de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo, Apoc 1:1

Mas o preterista continua:.” Os eventos registrados aqui no Livro do Apocalipse tinham que ter sido cumpridos brevemente, dentro de uma geração da morte de Cristo.

Estava Jesus dizendo que Ele voltaria rapidamente, como em breve, alguns poucos anos depois que João escreveu essas  palavras? A maioria preterista vai alegar que nao, mas continuarao alardeando que o breve do verso 1, capitulo 1 de Apocalipse, deve signiicar que a destruicao de Jerusalem era para breve, pois assim Joao resgistrou.

Portanto, estabelecer a data anterior a 70 dC para a escrita e cumprimento de quase vinte capítulos do livro de Apocalipse, firmando-se em Apocalipse 1:1,  concluindo que João registrou os acontecimentos que em breve viriam sobre Jerusalém, colocam problemas consideráveis grandes no caminho do intérprete preterista.

E mais ainda, o pior nisso tudo é que o preterista parcial ainda quer manter no futuro os contextos de Apocalipse capítulos 19,20 e 21,  os quais,  para sua interpretação confusa ter êxito, não deveriam estar localizados antes do capítulo 22:6, 7, 10, 12, 20).  Quando o  preterista é confrontado com tais versículos eles começam a suar frio, mas mesmo assim  fazem vista grossa diante de uma passagem extremamente prejudicial ao seu sistema herético. Provavelmente ainda não perceberam que são obrigados a reconhecer que o Segundo Advento de Cristo e o julgamento final já ocorreram, o que estaria em total desacordo com tudo que o cristianismo ensinou ate a presente data.

Veja o leitor que o texto temporal, o qual exige o breve para logo, é também encontrado no final do Livro de Apocalipse (Ap 22:6, 7, 10, 12, 20), o que logicamente conduz à conclusão de que todo o Livro  foi cumprido em 70 dC.

 “E ele me disse:” Estas palavras são fiéis e verdadeiras”, e do Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou o seu anjo para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer.”

Esta passagem está localizada no fim do Livro,  exatamente após a destruição da Jerusalém Babilônia (Ap 18), e ainda se diz  sobre coisas que em breve devem ocorrer. No entanto, o jeitinho preterista, da linha menos radical, usa Apocalipse 20:7-9  como referência para a segunda vinda de Jesus, que ainda ocorrerá no futuro. Como entender agora quando exigem que o “em breve” no inicio do Livro venha tratar da destruição de Jerusalém que seria breve, mas quando esbarram no breve aqui eles estendem o cumprimento para milênios a frente?

Isso cria uma contradição tão medonha dentro da marca preterista que seria bem melhor se nem tivessem tocado em Apocalipse 1.1. Uma vez que  22:6 é uma afirmação referindo-se a todo o livro de Apocalipse, seria impossível tomar breve  como uma referência para o ano 70 dC  e ao mesmo tempo sustentar que o breve de Apocalipse 1:1 ensina que a queda de Jerusalém estava para acontecer em breve. O  preterismo precisa aqui, urgente, adotar uma visão semelhante ao futurismo ou mudar totalmente para a visão preterista extrema, que compreende todo o livro de Apocalipse como a história do passado eliminando assim qualquer interpretação para uma segunda vinda futura, a ressurreição, julgamento do grande trono branco e punição de Satanás, como também do milênio…

Preteristas, até breve…