Sinais anteriores à VINDA de Jesus

Postado por

Lembre o leitor que os discípulos fizeram a Jesus, não uma, mas três perguntas.

E estando ele sentado no monte das Oliveiras, os discípulos vieram a ele em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do fim do mundo? Mat 24:3

1 quando serão essas coisas (Pergunta feita em cima de uma palavra de Jesus com relação templo, do qual ele disse que não ficaria pedra sobre pedra).

2 qual será o sinal da tua vinda?

3 qual será o sinal do fim do mundo?

A questão dos discípulos estava relacionada com a destruição de Jerusalém, a vinda de Jesus e o fim do mundo.

Jesus respondeu de uma maneira indicando que a destruição de Jerusalém seria uma coisa e sua vinda e o fim do mundo seriam outras. Está claro em todo o capítulo que Jesus mistura elementos envolvendo os três eventos em sua resposta. Desde os primeiros versículos de Mateus 24 para 25:46, a ênfase maior foi na sua segunda vinda.

Será que os preteristas poderiam responder onde estão as respostas de Jesus em Mateus 24 para essa indagação dos discípulos,

“… que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?”

Se 90 % de Mateus 24 cumpriu-se na destruição de Jerusalém, então devemos apenas esperar sua segunda vinda, sem que antes aconteçam tribulações, angústias das nações, sinais nos céus e na terra, terremotos e guerras e etc…

Seria possível admitirmos que Jesus, aqui nessa sequência,  responde aos discípulos sobre acontecimentos que precederiam a queda de Jerusalém em 70 dC?

“… Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos”, v 5 do capitulo 24 de Mateus.

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim”, v. 6

“… se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares”, v.7.

“Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão”, v 10.

“… surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos”, v 11.

“E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará”, v.12.

“Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo”, v.13.

“E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”, v 14.

“Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda”, v. 15.

“Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver”, v.21.

“E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias”, v.22.

“Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito”, v.23.

“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos”, v 24.

“E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas”, v.29.

O  preterista em sua desesperada defesa cita uma passagem paralela em Lucas que trata explicitamente do cerco de Jerusalém,

Lucas 19

20 Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação.

21 Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que nos campos não entrem nela.

22 Porque dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas.

23 Mas ai das grávidas, e das que criarem naqueles dias! porque haverá grande aperto na terra, e ira sobre este povo.

24 E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos…”.

Evidente que Jesus responde nesta específica passagem  a primeira pergunta dos discípulos. No entanto, o preterista não quer considerar que Jesus também responde, tanto em Lucas, Mateus ou Marcos, fatos que acontecerão antes da sua vinda e do fim do mundo.

Vou aqui usar elementos da mesma passagem de Lucas, e tentar localizar os acontecimentos ali descritos para antes da queda de Jerusalém. Observem como eles ficarão fora de tempo e lugar.

25 E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas.

Jerusalém fica a mais de 50 milhas do porto de Jope, mas não sei por que a Bíblia diz sobre espanto dos moradores de Jerusalém pelo bramido do mar e das ondas. Quem sabe dizer por as nações ficaram angustiadas pelo bramido do mar e das ondas antes de 70 dC se a batalha era travada apenas entre Jerusalém em Roma na região da Judéia, e em terreno seco?

Segue

26 Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas.

Essa aqui é simplesmente impressionante: os homens de Jerusalém desmaiaram de terror pelas coisas que sobrevieram AO MUNDO todo!

Que coisas ocorreram no MUNDO TODO em 70 dC que fez com que os moradores de Jerusalém desmaiassem de terror? Por que o Senhor Jesus fala sobre a “… expectação das coisas que sobrevirão ao mundo” se a guerra era localizada em Jerusalém apenas?

27 E então verão vir o Filho do homem numa nuvem, com poder e grande glória.

O então faz a coesão de todos os elementos acontecendo dentro da mesma profecia. Em outras palavras, Jesus dizia que estas coisas ocorreriam imediatamente antes da  sua vinda. Jesus não falava aqui para a geração sobrevivente dos seus dias, pois a esta geração citada aqui é prometida redenção, e não destruição como ocorreu com a geração de 70 dC. Observe o texto abaixo,

28 Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima.

Que coisas? As calamidades descritas aqui em Lucas, Mateus e Marcos.

Queria saber onde neste vasto planeta está o preterista que responderá este questionamento:

Jerusalém estava para ser destruída totalmente. Quase um milhão de judeus foram dizimados, sem contar os que tiveram que fugir doentes e outros padecendo de fome. Uma multidão morreu de inanição no caminho, e muitos  morreram depois de doenças, e Jesus ainda diz que a redenção deles estava próxima?

Evidente que Jesus responde aos discípulos exatamente as três perguntas que lhe foram dirigidas. A tese preterista de que Jesus não responde sobre sua vinda e sobre o fim do mundo, não procede. Jesus mistura elementos da destruição de Jerusalém em Lucas e Mateus, mas fala muito mais sobre os sinais que precedem sua vinda e o fim do mundo.